Starry Sun Reiki Luz Para Todos!: Dezembro 2013

Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

REFLEXÃO PARA 2014




Vídeo para reflexão, a todos um FELIZ ANO NOVO!!!

Seja você a mudança que espera ver no mundo. Faça de 2014 um ano diferente, seja diferente, busque seus valores, seus princípios e tenha atitude de praticá-los não se importe com o que dizem faça o que seja o melhor, o certo, o correto!!

Saudações Reikianas!!

sábado, 21 de dezembro de 2013

MENSAGEM DE NATAL


São os meus sinceros votos e que este espírito natalino se estenda ao ano novo que chega.
Mestre de REIKI Greice Peplau

O REIKI CONTINUA A ME CHAMAR



Hoje partilhamos o relato de Cátia Simões, para quem o Reiki apareceu como uma solução que a ajudou num período complicado da sua vida.
“Não sei bem precisar o momento exato da entrada do reiki na minha vida, acho que ele começou a infiltrar-se no meu subconsciente muito antes do dia em que decidi ir tirar o meu primeiro curso.
Mas uma coisa é certa o reiki veio até mim porque a minha alma o invocou primeiro do que eu. Estava a passar por uma crise existencial na minha vida, aos 30 anos sentia-me confusa, perdida, sem direção. Em cima de mim pesavam decisões que não afetavam apenas a minha pessoa, mas sim as que me rodeavam, sentia-me presa, era como se estivesse estagnada na minha essência, sentia-me encurralada na minha própria vida e neste emaranhado de emoções negativas arrastava comigo quem dependia emocionalmente do meu bem estar psicológico.
Um dia em que todas estas energias negativas gritavam bem alto no meu ser, e me imploravam para tomar decisões, decidi procurar algo que me ajudasse a decidir caminhos, o Reiki pareceu-me a solução. Procurei na página da Associação Portuguesa de Reiki escolas reconhecidas e a mais próxima de mim levou-me para junto da mestre Isabel, em Leiria, mestre fantástica, pessoa que apenas a sua presença nos transmite paz.
O meu primeiro curso foi tirado, e a minha ânsia de problemas resolvidos aumentou, e foi com desconsolo que me pareceu tudo ainda mais perdido. A minha vida parecia uma “bagunça” mas hoje tenho a certeza que foi graças a essa mesma desorganização que o meu caminho foi estruturado. Foi uma limpeza na minha vida, uma limpeza de sentimentos, de pessoas, de ideais, de conceitos padronizados que se vinculavam na minha vida durante anos e que eram os causadores de tanta prisão do meu “eu”.
Mas claro está, como tudo na vida, qualquer perda é dolorosa, seja ela de que nível for, era uma realidade que eu conhecia e de que estava habituada e perder foi difícil para mim, mas libertou-me. Durante todo este processo, cheguei a perguntar-me “Mas porque está a acontecer tanta coisa na minha vida? Porquê tantas situações a acontecerem ao mesmo tempo?” e hoje em dia sei perfeitamente a resposta, tudo aconteceu porque a lei do universo e a energia cósmica com que o Reiki trabalha, assim o quiseram, foi necessário uma restruturação de tudo o que me rodeava para finalmente eu ficar livre de tudo o quanto me fazia mal.
Depois de tudo organizado comigo, senti a vontade de ajudar os que me rodeavam, e dessa vontade até ao inicio do meu 2º curso de reiki, foi um passinho pequeno. De seguida, munida com novas ferramentas comecei a explorar, a testar se funcionava também para com os outros, pequenos gestos e pequenas vitórias foram o suficiente para me começar a sentir mais confiante.
Mas foi quando me deparei com duas situações complicadas de saúde de pessoas importantes para mim, que me coloquei verdadeiramente à prova e passei a confiar em  100% na minha capacidade de ajudar o próximo. Primeiramente com uma amiga com tumores cerebrais a ultrapassar uma crise horrível e depois com a entrada em estado de coma da minha avó.
Sinto que o reiki continua a chamar por mim, o terceiro nível está nos meus projetos, financeiramente por enquanto não me é possível, mas como a minha mestre diz, quando chegar a hora certa de eu avançar no reiki, quando eu estiver pronta esse dinheiro chegará até mim, e assim o vou esperando, porque tenho a certeza que esse dia chegará.”
Cátia Simões

OBRIGADO AO REIKI



Mais um bonito e profundo testemunho do poder transformador do Reiki.  Hoje partilhamos o relato de Carla Sousa, que agradece ao Reiki todas as mudanças que lhe trouxe, nomeadamente a qualidade de vida que agora tem. Além de manter a sua atividade profissional, Carla Sousa é também terapeuta de Reiki e voluntária da APR no Núcleo de Santo Tirso.
Fez no passado dia 8 de Novembro dois anos que fui iniciada no Reiki.
Depois de praticamente três anos a dormir muito mal porque o meu filho estava sempre doente, um ano com otites, expectorações no ano seguinte e acordava constantemente a meio da noite, cheguei a um ponto em que dormia menos de quatro horas por dia. Tinha regressado de férias e acordava todos os dias esgotada. Mesmo nas noites em que o menino dormia bem (que eram raras), eu acordava sempre, praticamente à mesma hora e nunca mais voltava a dormir.
O cansaço estava a tomar conta de mim e achei que a minha vida não podia ser isto: tentar sobreviver a mais um dia. Trabalhar, cuidar da casa, do filho, do marido e ainda me aguentar em pé já pareciam tarefas completamente desgastantes só de pensar nelas.
Cheguei a pensar que iria entrar numa depressão ou algo parecido, pois o desgaste era enorme.
Um dia decidi contactar uma colega da faculdade que era Mestre de Reiki e fiz algumas terapias.
Senti que mudei de uma semana para a outra. Estava descansada e muito feliz.
Ela propôs-me ser iniciada no Reiki. Também me tinha dito que poderia, só com o nível I, tratar o meu filho e obter melhorias. Mas como sempre, a desculpa foi que estava cheia de trabalho. Sou tradutora e o desgaste psicológico e mental é enorme. A concentração tem de ser sempre a mais elevada, mas ainda assim continuava a trabalhar muito bem. Nunca me tinha apercebido, mas todo o meu cansaço mental era transferido para o físico e a cada dia que passava, lá me desgastava mais um pouco.
No entanto, no espaço de pouco mais de um mês, o meu filho adoeceu novamente e percebi que iria voltar tudo ao mesmo. Mais cansaço, mais noites sem dormir, mais otites, mais expectorações, mais vómitos, mais de tudo aquilo que estava farta e sabia que não teria de ser assim.
Então, o coração de mãe fala mais alto e dei um passo em frente. Ia ser iniciada no Reiki. Não sabia como seria capaz de o fazer. O que a minha mestre ia fazer? Ligar-me um botão? Seria capaz de conseguir tratar-me a mim própria e ao meu filho? Parecia tudo tão fácil e ao mesmo tempo ainda tão longe.
Depois do curso, chegou o momento da iniciação. A minha mestre disse-me: “estás preparada para mudar a tua vida? A partir daqui nada será como dantes”.
Sinceramente, naquele momento fiquei assustada e pensei “no que me vim meter?”. Não era porque não acreditava no Reiki, apenas porque estava longe de perceber todas as potencialidades benéficas. Naquele preciso momento foi como que repentinamente me abrissem as portas de mundo completamente novo que sabia ser maravilhoso e sentia-me tão pequena perante tal situação. Acho que foi sentir cá dentro uma enormidade avassaladora, boa, mas que não conseguia saber o que era.
Claro, o momento da iniciação é um momento mágico e nunca será esquecido. Aliás, cada iniciação é um momento mágico e todas elas farão parte de todos os momentos especiais da minha vida. E neste momento sou terapeuta, tendo concluído o nível II.
E durante estes dois últimos anos ganhei qualidade de vida, vi o problema do meu filho ser resolvido. As otites, as expectorações e o acordar de noite parecem coisas do passado e tão distantes. Sou uma pessoa mais calma, não me deixo vencer pelo stress, trabalho mais e melhor e aprendi a equilibrar tudo aquilo que me prejudica, tirando mais tempo para mim e fazendo mais do que gosto. E afinal tenho tempo para tudo. Afinal não estava assim tão ocupada com o trabalho, é apenas uma questão de gerir as prioridades.
E nestes dois anos já conquistei tanta coisa que se indicasse tudo até pareceria mentira, mas é verdade. Agora sei que há dois anos cheguei quase a um ponto de exaustão. Agora percebo o desgaste energético que a minha profissão envolve e agora, mais importante de tudo, sei que tenho o Reiki a meu lado para me ajudar e tenho tanto para agradecer todos os dias.
Agora tenho um novo Mestre, pois assim a vida o ditou.
Obrigado Mestre B por me ter iniciado no Reiki.
Obrigado Mestre A. por tudo aquilo que me tem ensinado, por estar sempre presente, por ser uma pessoa dedicada.
Obrigado ao Reiki por tudo aquilo que me tem proporcionado e todo o crescimento que me tem possibilitado.
Obrigado aos Mestres de Reiki por nos guiarem e estarem sempre presentes.
Obrigado à Associação Portuguesa de Reiki por estabelecer programas de voluntariado. Hoje sou voluntária pela Associação e pelo Núcleo de Santo Tirso, e esta situação possibilitou-me um crescimento ainda maior, como pessoa e como terapeuta. Espero continuar a ajudar mais pessoas com Reiki, tal como eu fui ajudada.
Obrigado a mim por me ter permitido abraçar este caminho. Já conquistei tanto e sei que muito mais ainda estará para vir.
Muito mais haveria por dizer, talvez de uma outra forma, mas estas são as palavras (para mim emotivas) que me foram saindo. Uma última mensagem: sempre fui muito pragmática, mas no que diz respeito ao Reiki, só posso dizer que há coisas que não se explicam, que se sentem. Permitam-se sentir… fará toda a diferença!
Carla Sousa

HOJE POSSO DIZER QUE SOU LIVRE E VIVO EM PAZ!



Revelamos mais uma história sobre a importância decisiva do Reiki em momentos-chave da vida. O relato de hoje é da autoria de Natália Rosa, que nos conta a dura caminhada que empreendeu até encontrar o Reiki e o seu verdadeiro Eu.
Ao longo da minha vida sempre senti que tinha de fazer o que os outros queriam, seguir regras e, por isso, o meu Eu sempre ficou oprimido.
Sempre que tentava “lutar” contra a corrente havia algo que impedia de me revelar … e Eu deixava-me levar …
Com isso acumulei tanta energia negativa ao longo dos anos que se revelou num Adenoma na Hipofise em 2004.
Estive do outro lado mas não era a minha hora, pediram que regressasse pois a minha missão não estava cumprida.
Seguiram-se anos complicados, com internamentos, cirurgia e doses elevadas de medicação.
Não me sentia nada bem, física e psicologicamente, e à minha volta vi quem realmente se preocupava de verdade e quem mostrava satisfação por me ver na mó de baixo … foram anos duros de viver (se assim posso dizer). Nos primeiros quatro anos foi como viver um “coma robótico”, depois aos poucos fui acordando e comecei a meditar.
Apesar da meditação diária sentia que algo me faltava, ainda não conseguia ser Eu e voltava a sentir-me “atropelada” por todos à minha volta!
Por mero acaso recebi um convite para um Passeio dos Sentidos em Maio de 2013.
A dois dias do Passeio decidi ir, era na Quinta da Regaleira.
Ambiente fantástico, excelente grupo e uma Mestra de valor …
Foi no Poço da Iniciação que se fez o click!
Superei um Grande Obstáculo Mental e isso abriu a minha mente e fez o meu Eu ter uma janela cá para fora.
Em Junho fiz o nível I, renasci, foi uma experiência tão intensa que chorei que nem um bebé.
Em Julho fiz o nivel II, evoluí.
Hoje posso dizer que sou Eu, sou livre e vivo em paz.
Cumpro a minha missão, ultrapasso os meus obstáculos com um sorriso na cara.
É uma tarefa que já faz parte da minha rotina diária e somos constantemente colocados à prova, é esse o Desafio!
Vejo tanto negativismo à minha volta mas sinto-me Protegida.
Estou a ser verdadeiramente EU!
Hoje Sou Calma em todas as situações, Grata por tudo o que recebo (tudo tem uma razão de ser), Confio nas minhas capacidades, Trabalho Honestamente como sempre o fiz e Sou Amorosa com Todos os Seres (mesmo os Humanos para quem não há paciência) …
Recomendo a Todos, o Reiki: não se explica, Vive-se, Respira-se, Sente-se.
Muita Luz e Amor
Namasté
Natália Rosa

O EQUILIBRIO EMOCIONAL COM REIKI



O equilíbrio emocional é um desafio diário para quem tem um olhar atento em si mesmo. É como se estivéssemos num mar que por vezes é tranquilo e muitas vezes fustigante. 
“O que se opõe ao descuido e ao descaso é o cuidado.
Cuidar é mais que um ato; é uma atitude.
Representa uma atitude de ocupação, preocupação, de responsabilização
e de envolvimento afectivo com o outro.” - Leonardo Boff
Muitos praticantes de Reiki encontram nesta prática as ferramentas para o desenvolvimento da atitude de cuidado e assim, criam o espaço e tempo necessários a compreenderem o que causa o seu desequilíbrio emocional e de que forma o podem restabelecer. Praticam Reiki em si e nos outros, sentem-se realizados.
Outros, procuram a pílula milagrosa – irão falhar nesse intento.
Outros, encontram na capacidade de dar equilíbrio aos outros o mote para se esquecerem dos seus problemas e desequilíbrios. Apenas estão a adiar o inevitável e possivelmente a piorar a sua condição. Sendo este último caso algo de bastante importante na prática de Reiki, desenvolverei um pouco mais o assunto.

Cuidar do outro sem cuidar de mim, a receita para o fracasso

Desprezar a necessidade de equilíbrio emocional para lidar com o dia-a-dia pode levar ao esgotamento do próprio e mesmo ao esgotamento daqueles que o rodeiam. Se cada um de nós aceitasse a responsabilidade pelo seu próprio equilíbrio, criaríamos um ecosistema humano mais saudável.
O método de Reiki permite aprender a cuidar do outros. Muitas pessoas têm esse impulso, o que é um acto humano muito bonito. Doar. Dar ao próximo incondicionalmente. Por isso se diz que Reiki é uma prática de amor incondicional. É preciso estar-se predisposto para doar. O Mestre Usui, dizia que com a prática dos cinco princípios e do auto-tratamento, atingiríamos o Satori, a iluminação e o Anshin Ritsumei, a plena paz e felicidade.
Naturalmente, nos dias que correm, de tantas solicitações exigências, o equilíbrio é mais periclitante e assim, mais necessário. O praticante de Reiki não é um Ser Perfeito, é alguém que caminha para a sua paz e felicidade, para o seu equilíbrio emocional, mental, espiritual e físico.
Como não existem pessoas perfeitas, alguém que faça Reiki a outro, possivelmente não estará no seu total estado de equilíbrio emocional mas, deve estar no ponto de equilíbrio suficiente para se desapegar, desenvolver a sua prática correctamente e verificar que a mesma não levou ao seu desequilíbrio.
Por isso, o praticante, o terapeuta, deve sempre realizar o seu auto-tratamento. Sem esta consciência, esta atitude de cuidado, é melhor não praticar nos outros.

Porque não praticar nos outros quando não estamos equilibrados emocionalmente?

O Reiki flui quando é necessário. É uma energia sem polaridade, passiva. Reiki é uma energia vital, nunca trará aspectos negativos. Ao passar pelo praticante, um pouco dessa energia permanece com ele. É por isso que quando a prática é bem realizada, o praticante nunca se sente cansado. Reiki é mesmo excepcional!
Por isso, nunca está em causa a passagem de Reiki. A questão está é do lado de quem a está a passar. O praticante ou terapeuta, caso tenha questões emocionais e não tenha a atenção do seu auto-cuidado, irá ver os seus canais energéticos debilitados e mais estreitos. A sua aura não estará fortalecida e o contacto com a aura do seu utente/paciente, poderá levar a restimulações, efeitos espelho da sua própria condição. Assim, o utente/paciente irá satisfeito com a sua sessão mas, o praticante, irá encontrar as consequências do seu descuido.
Se realmente queremos ajudar o próximo e praticarmos a bondade, devemos em primeiro lugar direccionar essa força para nós.

O treino para o equilíbrio emocional

“A realidade existe onde a nossa mente se focar”
Para conhecermos o nosso equilíbrio temos que reservar tempo para nós mesmos. Esse é o primeiro passo.
O segundo passo é a prática constante do auto-tratamento, identificando a origem das questões.
O terceiro passo é procurar um colega, para receber tratamento. A perspectiva de terceiros apenas nos enriquece.
Constantemente devemos procurar praticar os cinco princípios, são eles que nos levam à mudança.

Cinco princípios para o equilíbrio emocional

Só por hoje, sou calmo
“Faço o auto-tratamento, cuido de mim, gosto de mim, crio um lago de serenidade no meu interior e esvazio-me de todos os preconceitos. Antes de escutar ou cuidar do outro, sei que devo estar oco como um bambu”
Só por hoje, confio
“Acredito em mim mesmo e nas minhas capacidades. Confio no universo e sinto o fluir da energia. Sei que o meu caminho o faço para atingir a felicidade. Não me vou preocupar pois confio em mim.”
Só por hoje, sou grato
“Agradeço por todas as situações, incluindo o meu desequilíbrio emocional. Sei que tudo o que possa considerar mau, será bom para o meu crescimento. Irá permitir-me parar e crescer mais. Serei mais feliz.”
Só por hoje, trabalho honestamente
“Sou verdadeiro comigo mesmo. Sou verdadeiro com os outros. Aceito parar quando devo. Aceito continuar quando devo. Compreendo o equilíbrio de todas as coisas.”
Só por hoje, sou bondoso
“Sou bondoso comigo mesmo, por isso trato-me. Sei que com este trabalho irei mudar por mim.”
10 – A Onda
Num momento tempestuosa
No outro, calma
A onda do oceano
É na verdade
Tal qual a existência humana
Imperador Meiji


REIKI PARA ANIMAIS



Carla Brito é a coordenadora de Reiki para Animais em Lisboa e o seu trabalho com Reiki em benefício dos nossos “amigos de quatro patas” foi destacado na revista Notícias Magazine deste domingo, 17 de novembro. 

REIKI NAS ESCOLAS (PORTUGAL EXEMPLO A SER SEGUIDO)



Ana Margarida Rodrigues Ramalho é voluntária no Núcleo de Santa Maria da Feira e professora na Escola Bento Carqueja/Agrupamento de Escolas Soares de Basto, Oliveira de Azeméis. No número especial da revista “Zen Energy” dedicada ao Reiki, publicado em setembro, fala sobre o projeto de Reiki nas escolas levado a cabo pelo Núcleo desde outubro do ano passado. Podem ler a entrevista aqui:



ESCOLHER O CAMINHO DO REIKI


“Só um reikiano consegue saber a importância que tem o Reiki em nossas vidas. Como costumo dizer, todo o ser humano deveria tirar pelo menos o 1.º nivel de Reiki, porque bastava isso para ver tudo de uma forma diferente.
Jamais esquecerei o dia em que decidi escolher o caminho do Reiki… faz anos que não andava bem, tudo me aborrecia, ia ao espelho e não gostava de nada que via em mim. Pensava, mas isto é a minha vida! Todos os dias ter que me levantar, ter que tomar banho , ter que fazer a cama, ter que me enfiar na cozinha. Se não tivesse marido não tinha que cozinhar e aí não era gorda. Estou farta da vida, tomara desaparecer. Foram anos seguidos constantemente a pensar desta forma, nada nem ninguém me trazia felicidade.
A minha contabilista é Reikiana e, certo dia, decidi pedir ajuda. Logo com a primeira sessão senti-me menos deprimida e mais leve, mas o tempo era sempre pouco e como não gosto de aborrecer ficámos apenas na terceira sessão. O tempo foi passando e nada mais fiz para o meu bem estar.
Certo dia, do nada comecei a pensar: tenho que ir para o Reiki. Por que não aprender a tratar-me a mim mesmo e poder ajudar o próximo? Foi então aqui que tudo começou. Procurei vários Mestres falei com eles e dois meses depois estava a fazer o meu 1.º nivel. Recordo como se fosse hoje… Só três pessoas sabiam onde eu estava, a minha contabilista, a minha filha e o meu marido. Na hora de almoço telefonei aos três para lhes dizer que o Reiki era a coisa mais linda do Mundo e eu era a pessoas mais feliz. Porquê só agora ter descoberto o Reiki? Evidentemente que a minha contabilista compreendeu, mas marido e filha apenas sorriram e disseram que eu nunca lhes iria por as mãos em cima.
À noite quando cheguei a casa meti o manual em cima da mesa.
Qual não foi o meu espanto quando no domingo, quando me levantei, fui dar com o meu marido a ler o manual de Reiki e a dizer-me que se cumprisse o que estava nele ia longe, porque tudo aquilo era importantíssimo. Na hora de almoço perguntou-me se eu não lhe queria fazer Reike. Sorri e, de tarde, tentei fazer o melhor que sabia.
Foi assim que tudo começou em mim. Aprendi a ver o Mundo mais colorido, a ser uma pessoa passiva, a silenciar muitas vezes em vez de responder e principalmente a gostar da minha pessoa. Pois se não gostarmos de nós será impossível podermos gostar de alguém. Sei que é estranho para muitas pessoas, mas as energias de qualquer ser humano têm capacidade para fazer desaparecer uma nuvem no Universo, basta aprender a usá-la. Somos todos iguais… todos temos as mesmas energias, cabe a cada um querer ou não trabalhar para o seu crescimento.
Desculpem o tamanho do texto… mas isto é um Mundo tão maravilhoso que o testemunho não teria mais fim. Namastê!”
Lina Pinto

O REIKI É UM PRESENTE DE VIDA PARA A VIDA



Mais um testemunho do poder do Reiki. Este foi-nos enviado por Elisabete Braga, que contactou pela primeira vez com o Reiki em 2000 e nunca mais o largou. Hoje considera que “o Reiki é um presente de Vida para a Vida, pois o nosso corpo é um reflexo da nossa mente. O Reiki equilibra o espírito, torna o corpo sadio e ajuda as pessoas a alcançarem a felicidade”. Aqui fica o seu relato:
“O Reiki como Filosofia de Vida”
Quero partilhar com vocês a importância do Reiki na minha vida. Esta terapia não apareceu por acaso na minha existência, teve o seu sentir quando algo no meu interior me fez um apelo para fazer algo pelos outros e pelo Universo, ajudar ou tentar ajudar as pessoas nos seus infortúnios e a torná-las mais saudáveis, mais positivas apesar das vicissitudes e contratempos que se nos deparam pela vida fora.
No ano 2000 senti pela primeira vez a sensação do Reiki quando me desloquei ao Espaço Quíron a fim de receber pela primeira vez esta fantástica terapia japonesa. Senti-me levitar, fiquei calma, serena e sobretudo em paz comigo própria. Fez tudo sentido naquele momento, até porque a própria terapeuta me informou eu ser possuidora de uma energia fantástica e só tinha que a colocar em prática em prol do bem das pessoas e da humanidade. Tornei-me Mestre de Reiki em 2003  e a partir daí é só uma soma de situações agradáveis e positivas quer para mim quer para os que me rodeiam e me procuram. Aprendi a viver o presente, o aqui e o agora, o momento. A olhar a vida de frente. Aprendi a sentir melhor as más e as boas energias de quem me rodeia, aprendi a defender-me das pessoas e situações nocivas e tóxicas. Tornei-me mais sensitiva, com uma intuição mais apurada. O Reiki é para mim uma dádiva divina, uma benção na minha vida. Ajudei muitas pessoas a ultrapassarem os seus obstáculos e a sentirem-se mais equlibradas e a alcançarem a felicidade.
O Reiki é um presente de Vida para a Vida, pois o nosso corpo é um reflexo da nossa mente. O Reiki equilibra o espírito, torna o corpo sadio e ajuda as pessoas a alcançarem a felicidade. Quando o Reiki penetra no nosso corpo, estamos a enviar Luz e Amor para o Mundo.
O meu conselho para quem está a ler este meu depoimento, é experimentem-no e façam dele parte integrante da vossa Vida.
O meu conselho para quem quer seguir este caminho, é: aprender a perdoar, ter compaixão, ser solidário, ter amor no coração, ter fé e acreditar!
Elisabete Braga


EM BUSCA DA FELICIDADE....DICAS COM REIKI




O objetivo de todos nós é, no limite, sermos felizes. E atingir essa meta depende, em grande parte, de nós mesmos e não dos que nos rodeiam ou do país em que vivemos. Aqui está uma lista de 15 coisas que, se conseguirmos abandonar, nos ajudarão a caminhar na direção do sorriso. E, para os praticantes de Reiki, ficam algumas dicas de como empreender estas mudanças positivas, predispondo-nos a ser mais felizes.

Tendemos a culpar os outros (e a situação económica, os políticos, os vizinhos, os pais e o mundo inteiro) da nossa infelicidade. Mas a verdade é que há coisas (muitas) que dependem exclusivamente de nós, da nossa ação e da nossa predisposição para mudarmos alguns aspetos que nos podem ajudar a viver mais satisfeitos.
Esta é uma lista publicada recentemente no World Observer Online com 15 padrões de comportamento que, ao serem abandonados, nos libertam para uma vida mais feliz. É verdade que, à primeira vista, pode parecer impossível de pôr em prática de um momento para o outro. O melhor será mesmo lê-la, estudá-la com atenção e tentar manter os vários tópicos sempre presentes (podem até imprimir a lista e andar sempre com ela). Mudanças repentinas nem sempre se conseguem e, em regra, não são muito consistentes. Só o facto de se pensar nos tópicos aqui sugeridos e, pelo menos, tentar aplicá-los no dia a dia já trará mudanças muito boas. E felizes.

Integrar o Reiki
Os praticantes de Reiki têm à sua disposição uma importante ferramenta para melhor integrar estes 15 aspetos na sua vida diária. Aqui ficam algumas sugestões:
1)      Ao meditarem nos Cinco Princípios de Reiki, tentem perceber de que forma é que os aspetos mencionados na lista estão presentes nas vossas vidas, como é que afetam o vosso dia a dia e a vossa energia para ser, estar e concretizar. Em cada um dos tópicos incluí o Princípio do Reiki que mais se relaciona com o tema que deve ser trabalhado;
2)      Durante a meditação Gassho, averiguem de que forma é que praticam alguns destes padrões de comportamento nocivo e, ao perceberem que também os reproduzem nas vossas vidas, peçam ao Reiki para vos ajudar a abandoná-los e a substituí-los por outros, positivos;
3)      Tentem perceber, durante o vosso auto-tratamento, de que maneira é que cada um destes 15 temas gera bloqueios no vosso corpo energético e removam-nos com a ajuda do Reiki;
4)      O abandono destes padrões de comportamento e/ou de pensamento pode também ser potenciado com a ajuda da Nentatsu-Ho, técnica ensinada no nível I;
5)      Caso tenham o nível II de Reiki podem ainda enviar energia vital universal para vos ajudar a integrar estas mudanças, contribuindo para uma elevação do vosso Ser.

15 coisas a abandonar para ser mais feliz

1 – Necessidade de ter sempre razão
Querer ter razão a qualquer preço, em todas as situações, é um comportamento comum a alguns de nós e que chega a pôr em causa relações antigas e valiosas. Já para não referir as tensões diárias que provoca a quem se envolve neste concurso do “quem está certo”. Mas valerá mesmo a pena ter sempre razão? O que é que se ganha – realmente – com este comportamento?
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou bondoso.

2 – Necessidade de controlar tudo
A necessidade de controlar tudo e todos à nossa volta faz-nos mergulhar facilmente numa espiral de insatisfação e ansiedade permanentes. Porque é impossível que tudo na nossa vida corra como idealizámos ou programámos. Aqui, o desafio passa por deixarmos que os outros sejam simplesmente o que são. E tudo fluirá muito melhor, sem tensões nem bloqueios.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

3 – Culpar
Culpar os outros pelo que se tem, ou não; pelo que se é ou não; pelo que se sente, ou não, impede-nos de olhar para nós mesmos e perceber o contributo que damos para que a nossa vida seja realmente aquilo que gostaríamos que fosse. Importa, pois, deixar de atirar as culpas para cima de outrem e responsabilizarmo-nos mais pela nossa vida.
Princípio do Reiki: Só por hoje, trabalho honestamente

4 – Conversas auto depreciativas
Muitas pessoas passam o tempo a magoar-se a si próprias apenas porque alimentam conversas negativas a seu respeito, poluídas por palavras e emoções tóxicas. Não acreditem em tudo o que a vossa mente vos diz, especialmente se for negativo sobre vocês.
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou bondoso.

5 – Crenças limitadoras
Para conseguirmos fazer algo na vida temos primeiro de nos libertar de conceitos sobre o que podemos ou não fazer; sobre o que é ou não possível. Só depois de pôr tudo isso de parte conseguimos abrir asas e voar.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

6 – Queixas
Há pessoas que passam a vida a queixar-se de tudo e de todos. Esquecem-se que ninguém nem nenhuma situação os podem fazer infelizes a não ser que eles próprios permitam. Não é a situação que desencadeia os sentimentos de infelicidade, mas antes a forma que se escolhe de olhar para ela. Acima de tudo, não devemos subestimar o poder do pensamento positivo.
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou bondoso/ Só por hoje, sou calmo/ Só por hoje, sou grato.

7 – Criticar
Criticar pessoas, coisas ou situações não leva a lado nenhum. Todos somos diferentes, ainda que sejamos partes de um todo que nos une e nos torna iguais. Todos queremos e procuramos o mesmo: ser felizes. Mas cada um busca essa felicidade de formas diferentes, de acordo com o seu sentir e postura face à vida. A crítica, quando não é feita com sentido construtivo, só nos enreda numa teia de energia negativa, impedindo o crescimento e a felicidade.
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou bondoso.

8 – Necessidade de impressionar os outros
É necessário que deixemos de nos esforçar tanto para sermos algo que não somos, apenas com o intuito de fazer com que os outros gostem de nós. Porque no momento em que deixarmos de o fazer e assumirmos o nosso real “eu” surgirão muitas pessoas que  gostarão de nós exatamente como somos,  sem máscaras nem esforços.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

9 – Resistência à mudança
Aceitar que a mudança é boa e traz benefícios não só a nós próprios como a quem nos rodeia é meio caminho andado para a felicidade. Porque deixamos de criar resistências à mudança (que está sempre a acontecer) e aceitamos a bênção da vida tal como esta nos é dada a viver.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

10 – Rotular
A mente apenas trabalha de forma adequada quando está aberta. Para isso, é importante deixar de rotular as pessoas ou situações que não compreendemos como sendo “esquisitas” ou “diferentes”.
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou bondoso.

11 – Medos
O medo não existe, é apenas uma ilusão criada pela mente para nos impedir de embarcar  em situações que nos possam conduzir à mudança. Porque a mente, em regra, prefere a rotina, o conhecido, o dado adquirido, o conforto, mais do que o risco da incerteza.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

12 – Desculpas
Muitas vezes limitamo-nos nas nossas ações apoiando-nos em múltiplas desculpas. Em vez de crescermos melhorando-nos a nós e às nossas vidas, acabamos presos, a mentir a nós mesmos, usando todo o tipo de desculpas para não fazermos aquilo que sabemos que é para fazer.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.

13 – Passado
Pode ser bem difícil, especialmente quando o passado nos parece muito melhor que o presente e o futuro surge com um ar assustador. Mas precisamos de ter em consideração que o momento presente é tudo o que temos, é tudo o que sempre teremos. O passado que hoje recordamos com nostalgia foi em tempos ignorado por nós quando era presente. Portanto, está na hora de nos agarrarmos ao momento que nos é dado viver e… vivê-lo . Para tal, cabe-nos estar presentes em tudo o que fazemos, desfrutando da vida.
Princípio do Reiki: Só por hoje (trabalhar aqui apenas o “só por hoje”)

14 – Apego
Este é um conceito difícil de atingir, mas não é impossível. À medida que o vamos trabalhando, paulatinamente, mais fácil se torna. Desapegar não implica desistir das coisas ou das pessoas de que gostamos. É apenas não depender delas para sermos felizes. É perceber que o ego nos faz ficar presos a pessoas ou situações que nos dão um retorno que nos faz bem, mas esse retorno é, em regra, uma ilusão. Porque não vem do nosso Eu interior.
Princípio do Reiki: Só por hoje, sou grato.

15 – Viver a vida de acordo com as expectativas dos outros
Ouvir a nossa voz interior e viver de acordo com ela – em vez de cumprir apenas aquilo que é suposto que façamos – é meio caminho andado para a felicidade. Não nos podemos esquecer que os outros, muitas vezes, depositam em nós aquilo que  eles próprios não foram capazes de viver, provavelmente por que não terem ouvido a sua própria voz interior. Mas esta é a nossa vida. E como tal deve ser vivida, de acordo com as nossas próprias expectativas.
Princípio do Reiki: Só por hoje, confio.